O uso e cobertura do solo de uma bacia de drenagem, determinados principalmente pelas atividades econômicas desenvolvidas, afetam diretamente os parâmetros de qualidade da água dos seus corpos hídricos. O monitoramento qualitativo tem por objetivos avaliar se essas atividades econômicas promovem contaminações pontuais e se, ao longo do tempo, o ambiente se mostra resiliente a essas atividades. O conhecimento do comportamento natural de determinados parâmetros, denominados indicadores, reduz drasticamente o número de parâmetros a serem analisados regularmente, reduzindo custos sem afetar a confiabilidade do monitoramento. 

A AVIX oferece vários serviços de monitoramento qualitativo de águas superficiais, frequentemente são associados a um monitoramento quantitativo, onde o cliente tem liberdade para escolher o laboratório de sua preferência, que realiza as análises e envia os laudos para a AVIX, onde são processados, analisados e interpretados, sendo os dados consolidados disponibilizados em um painel online do nosso serviço Hydrix, de fácil interpretação e acesso aos dados.

A qualidade da água é resultante dos inúmeros processos que ocorrem na bacia de drenagem do corpo hídrico, sendo modificada pelos diversos fatores que atuam sobre ela, principalmente o uso e ocupação do solo, permitindo o diagnóstico das prováveis causas dos impactos ambientais observados. São considerados parâmetros físico-químicos indicadores aqueles que podem ser utilizados para se avaliar a sustentabilidade de um recurso ou a sua forma de utilização ao longo do tempo. Conheça os principais indicadores físico-químicos utilizados no monitoramento ambiental:

Sólidos totais

Presentes na água representam os sólidos dissolvidos mais os sólidos em suspensão e os sedimentáveis. Afetam a limpidez da água, reduzindo a entrada de luz e, consequentemente, diminuindo a fotossíntese das plantas aquáticas, a água pode se aquecer mais e reter o calor por mais tempo, afetando organismos adaptados a regimes de baixa temperatura. As principais fontes são descargas industriais, esgotamento, fertilizantes, escoamento de estradas e erosão do solo. São medidos em miligramas por litro.

Sólidos Suspensos

Correspondem a toda matéria que permanece como resíduo, após evaporação ou secagem da água a uma temperatura pré-estabelecida durante um certo tempo. Correspondem a partículas de maiores dimensões, retidas por filtro de papel 3 μm e são os principais poluentes associados às operações florestais. São formados por areia, silte, argila, partículas de material orgânico e inorgânico, componentes orgânicos solúveis, plâncton e outros organismos microscópicos e a principal fonte de sólidos para a água superficial é a erosão do solo.

Sólidos dissolvidos

Retratam as partículas menores, capazes de passar por um papel filtro de 2 μm e estão relacionados principalmente com a matéria orgânica em decomposição, consistindo em cálcio, cloretos, nitrato, fósforo, ferro, enxofre e outros íons particulados.

Turbidez

É a medida da claridade da água, e a descreve como quanto o material suspenso diminui a passagem de luz pela água, sendo que materiais suspensos incluem partículas de solo (argila, silte e areia), algas, plâncton, micróbios e outras substâncias, com faixa típica de tamanho entre 0,004 mm (argila) a 1,0 mm (areia), e também pode afetar a cor da água.

Potencial Hidrogeniônico ou pH

Termo usado para indicar a alcalinidade ou acidez de uma substância, ranqueado em uma escala de 1,0 a 14,0 com a acidez aumentando enquanto o pH diminui. Baixo pH permite que elementos e compostos químicos se tornem instáveis e “disponíveis” para serem incorporados pelas plantas e animais aquáticos, o que pode produzir condições que são tóxicas para a vida aquática. Mudanças na acidez podem ser causadas por deposições atmosféricas (chuva ácida), rochas da região e descargas de efluentes entre outros processos.

Cálcio

É o principal cátion na maioria das águas naturais. Praticamente todas as rochas agem como fonte de cálcio, mas sua concentração é geralmente maior em águas que drenam regiões de rochas calcárias. Aumentos repentinos também podem estar relacionados ao arraste de material de solo e fertilizantes em processos erosivos e pelo lançamento de águas residuárias domésticas, industriais e mineração.

Fósforo

Nutriente essencial para plantas e animais que formam a cadeia alimentar aquática. Como é um nutriente escasso na maioria das fontes de água doce, até mesmo um modesto incremento de sua concentração pode, sob certas circunstâncias, desencadear uma sequência completa de eventos indesejáveis no curso d’água, incluindo o crescimento acelerado de plantas, algas e diminuição do oxigênio dissolvido. Na natureza, o fósforo normalmente existe como parte da molécula fosfato (PO4). Em sistemas aquáticos, ocorre como fosfato orgânico e inorgânico.

Nitrogênio

Pode ser encontrado em várias formas diferentes em ecossistemas aquáticos e terrestres. Tais formas incluem amônia (NH3), nitritos (NO3) e nitratos (NO2). Nitratos são nutrientes essenciais para plantas, mas em quantidades excessivas, juntamente com o fósforo, podem causar problemas significativos de qualidade de água como, por exemplo, acelerar o processo de eutrofização, aumentando drasticamente o crescimento vegetal na água, mudanças na fauna e flora local, concentração de oxigênio dissolvido, temperatura, entre outros indicadores. Dentre suas fontes estão plantas de tratamento de águas residuárias, escoamento de plantações fertilizadas, sistemas sépticos falhos, escoamento de áreas de armazenagem de fezes animais e descartes industriais que contenham inibidores de corrosão.

Oxigênio Dissolvido

Está presente na água naturalmente e seu incremento se dá nas águas correntes por agitação e como resultado de fotossíntese pelos organismos fotossintetizantes. Essas águas apresentam portanto maiores níveis de OD do que sistemas com água parada, como lagos. A taxa de reintrodução de oxigênio dissolvido em águas naturais através da superfície depende das características hidráulicas e é proporcional à velocidade, sendo que a taxa de reaeração superficial em uma cascata é maior do que a de um rio de velocidade normal. Níveis de OD flutuam sazonalmente e durante o período de 24 horas, de acordo com a temperatura e altitude. Águas mais frias retém mais oxigênio que águas mais quentes.

Demanda Bioquímica de Oxigênio

É a medida da quantidade de oxigênio consumido por microorganismos que decompõe a matéria orgânica na água, assim como a oxidação química da matéria inorgânica. O teste geralmente usado para medir a quantidade de oxigênio consumido é realizado em ambiente com ausência de iluminação, por cinco dias, a 20°C (DBO5,20). A taxa de consumo de oxigênio no curso d’água é afetada pela temperatura, pH, presença de certos microorganismos e pelos tipos de materiais orgânicos e inorgânicos  na água. A DBO afeta diretamente a quantidade de oxigênio dissolvido em cursos d’água. Quanto maior a DBO, mais rapidamente o oxigênio é exaurido.